FERROADAS E PICADELAS

DIZEM QUE A VINGANÇA É DOCE...,
À ABELHA, CUSTA-LHE A VIDA!
***
"UMA BOA ABELHA, NÃO POUSA EM FLORES MURCHAS"
***
"Os livros, são abelhas que levam o pólen de uma inteligência a outra."
***
"TAL COMO AS ABELHAS, AS PALAVRAS TÊM MEL E FERRÃO"



quarta-feira, 26 de maio de 2010

QUE INSECTO É ESTE ? ( actualização )

Após a postagem anterior, e porque a curiosidade assim o determinava, embrenhei-me nesta aldeia global do conhecimento, procurando com mais cuidado, o que até ali não tinha encontrado.
Após algum tempo de apurada e minuciosa procura, eis que encontro informação q.b. no blog “Monte do Mel” em Julho de 2009,  (clique aqui) e bem assim, a indicação de outro sítio,  (clique aqui) onde se desmestifica algum receio pela presença de um insecto de tal tamanho.
Ao “Monte do Mel”, queremos retribuir a nossa divulgação com um grande bem haja e, como um blog onde o conhecimento e a simpatia são uma constante, é um sítio que se recomenda.

terça-feira, 25 de maio de 2010

QUE INSECTO É ESTE?

Durante o merecido fim de semana, passar pelo apiário e dar uma olhadela, está a tornar-se um hábito.
E há sempre alguma coisa a constatar, alguma coisa que requer um pouco da nossa atenção.
Não fugiu à regra o passado fim de semana, e a visita ao apiário mais que se justificou.
Uma má notícia, mais uma baixa. Desta feita, o enxame dum cortiço donde havíamos tirado um enxame quando da enxameação, e que estava à cerca de um mês em condições ditas normais, simplesmente desapareceu.
Algo se passou, e o que é certo é que fugiu sem deixar rasto.
Foi uma perca mas, nada que nos desanime. Se fugiu foi porque quis, ninguém o mandou embora… e como tristezas não pagam dívidas....
Na procura de indícios que nos ajudassem a compreender alguma coisa, a cerca de uma dezena de metros do apiário encontrámos um insecto, em tudo semelhante a uma vespa só que, de dimensões anormais. O seu tamanho era de, cerca de 4 cm (imag 01).
Em relação às vespas que habitualmente conhecemos,  (imag 05) , posui algumas diferenças a nível das cores, tem alguma pilosidade, e falta-lhe "aquela cinturinha de vespa"...
Possuía seis patas e quatro asas, e das suas enormes mandíbulas (imag 02) segregava quantidades de líquido (veneno? imag 03), condizentes com o tamanho que ostentava.
Será uma das 110 mil espécies de Hymenoptera, mais uma aberração da natureza como há tantas, ou curiosidades da biodiversidade que ainda desconhecemos?

sábado, 22 de maio de 2010

MEL PURO OU FALSIFICADO?

MEL, ESSA DOCE DÁVIDA DAS ABELHAS


Hoje, e porque o calor aperta e a praia não está nos meus planos, resolvi repostar-me no sofá, e divagar sobre o nosso produto de eleição: “O MEL”.

Não porque tenha a pretensão, digo até ousadia, de considerar estar a trazer a este espaço, rico em toda esta informação, algo de novo sobre a matéria, mas porque considero que o tema é actual e pertinente, e porque o produto deve ser prestigiado e protegido, salvaguardando a pureza do “ouro das nossas abelhas”, no respeito pelo trabalho e dedicação dos verdadeiros amantes da apicultura.
Não obstante o vasto leque de temas existentes para este post, quero deixar o enfoque principal na qualidade dos méis presentes no mercado.
Infelizmente, mel adulterado passa facilmente por mel puro e, na prateleira de um supermercado, é difícil distinguir qual é o puro, e qual não é. Existem no entanto, algumas formas de fazer essa distinção.
O QUE É UM MEL PURO?
O mel puro é aquele que nos vem das abelhas, às quais não foi dada qualquer alimentação artificial, xaropes de açúcar por exemplo, quando não há flores para as abelhas colherem pólen. Mas, como isso nalguns casos é rentável, há apicultores que utilizam esse método durante todo o ano, aumentando assim a sua produção, os seus lucros. Há no entanto produtores de mel que guardam uma parte da sua colheita para alimentar as suas abelhas na época em que não há flores, privilegiando a qualidade em detrimento da quantidade.COMO VERIFICAR A PUREZA DO MEL?
Confiança
Em primeiro lugar, se queremos um mel puro e de qualidade, há que ter em conta a confiança na sua origem.

O produtor, a sua dimensão, o modo de apresentação do produto, a sua rotulação, são valores indispensáveis para uma primeira análise do produto.
Apreciação visual
O mel donde predomine a flor de laranjeira, tem de ser necessariamente mais claro que o mel silvestre.
O mel com o tempo cristaliza e, mel cristalizado é bom sinal. Todo o mel, quando bem manipulado, tende a cristalizar. A cristalização é o processo em que o mel se transforma numa pasta granulada, macia e uniforme. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o mel cristalizado não está estragado ou é de má qualidade. A cristalização é, na realidade, um atestado de que o mel é verdadeiro e puro. Isso ocorre porque, de entre os elementos que compõem o mel, estão a água e alguns açúcares naturais, como a glicose e a frutose. Dependendo da humidade, temperatura e concentração desses açúcares, as partículas de glicose, que são menos solúveis, começam a condensar-se e aglutinar-se em pequenos cristais (hidrato de glicose). Este é, portanto, um processo natural do mel puro, que tende a acontecer em mais ou menos tempo, variando de acordo com a origem floral do néctar. No caso do mel falsificado, o processo não acontece dessa forma. O que ocorre é o endurecimento do mel e a formação de uma pedra de açúcar desigual, com manchas brancas.
Importa salientar que o mel cristalizado mantém todas as propriedades nutricionais e energéticas, bem como o sabor e o aroma do mel líquido. Para descristalizar o mel, tornando-o líquido novamente, recomenda-se o aquecimento controlado em banho-maria, à temperatura máximo de 45 ºC. Acima dessa temperatura e quando submetido ao aquecimento por muito tempo, corre-se o risco de se alterarem os açúcares e eliminar as suas vitaminas e enzimas naturais.
De entre os muitos testes para verificar se o mel é puro, deixo aqui o mais usual:Pinga-se um pouco de mel num copo de água. Se o mel for puro, afunda-se na água como uma gota firme. Se não for puro, dissolve-se na água.
Outro factor a ter em conta na qualidade do mel, tem a ver com o binómio qualidade /preço. O mel puro, por ser menos rentável, costuma ser vendido ligeiramente mais caro. No entanto, nem todo o mel caro é puro, mas o mel que é puro, será certamente mais caro.
Apesar de tudo, é a confiança o primeiro e principal factor de escolha
.Consuma mel puro.
Tenha mais saúde.
Torne a sua vida mais doce!

segunda-feira, 17 de maio de 2010

MOSCA-ABELHA ?


Numa breve passagem pelo apiário, constatámos que a normalidade é uma realidade.
A curiosidade de principiantes leva-nos por vezes a pequenas dúvidas, algumas de solução tão fácil que, e embora à vista dos olhos, não nos são perceptíveis.
Enfim, desconhecimentos de “caloiros na apicultura”, cuja falta de conhecimentos humildemente reconhecemos.

Desta vez, chamou-nos á atenção a presença de um tipo de “vespa”, melhor dizendo de algumas moscas que parecem vespas (imagens 1 e 2), e de cujo tipo já havíamos lido em alguns manuais apícolas.
Numa consulta a esses manuais, e inclusive no meio internauta, encontrámos vários tipos de moscas parecidas com abelhas, mas nenhuma do género, e bem assim da cor, da que encontrámos no nosso apiário.
Alguma informação, diz-nos que este tipo de moscas (imagens 3; 4; e 5 ) são de espécies que ao longo dos tempo se foram adaptando criando este disfarce natural (semelhança a uma abelha ou vespa), para assim se protegerem dos predadores, dada a sua parecença com insectos perigosos.










A nossa dúvida, centra-se na sua existência no apiário. Poderá a mesma ser de algum modo nociva?
Como não encontrámos imagens de moscas deste tipo, com mais dúvida ficámos. No entanto, não será isto um assunto de “lana caprina” e, como tal, sem qualquer valorização na actividade apícola?


sábado, 15 de maio de 2010

ENXAME MORTO

Na rotina de verificação do modo como se comportam os novos enxames, fizemos mais uma visita ao apiário.
No geral, os novos enxames encontram-se a trabalhar bem, e os cortiços, com uma vida que parecem querer enxamear mais uma vez.
Um senão nos intrigou, e para o qual ainda não encontrámos resposta convincente.
Um dos enxames novos, e diga-se um enxame de tamanho razoável, encontrava-se morto, com as abelhas em monte sob os respectivos quadros. A rainha encontrava-se ainda viva embora bastante debilitada, vindo a morrer posteriormente. Reparámos que o dito enxame se encontrara já a trabalhar, porquanto tinha alguma cera puxada nos quadros.
Isto aconteceu somente numa caixa, enquanto as outras trabalham normalmente.
Não encontrámos até agora razão plausível para tal situação, o que não deixa de nos intrigar.
Terão alguns dos colegas apicultores que passem por aqui, passado por uma situação idêntica?
Gostaríamos de saber, e a ter acontecido tal, qual a conclusão a que chegaram.
Saudações apícolas.

O NOSSO APIÁRIO

ENXAMEAÇÃO / Novos Enxames




Iniciámos o nosso hobby com alguns cortiços, e temos vindo a aproveitar os enxames quando da enxameação, aumentando assim a população do nosso apiário, com a felicidade de não termos tidos baixas no passado inverno.

Com o início da primavera em força ,ainda que mais tarde que o habitual, a finais do mês de Abril, os nossos cortiços preparavam-se para enxamear e, um após outro, fomos aproveitando os novos enxames.


Foi uma operação delicada, porquanto necessário se tornava deixar passar a quantidade de abelhas ideal para o novo enxame, e bem assim, termos a certeza de que passou a rainha, elemento indispensável á vida do novo enxame, ainda que, nem sempre à primeira tentativa se conseguisse tirar o novo enxame.

A operação “bater o cortiço” (termo utilizado na Beira Litoral), foi um sucesso, tendo resultado no aproveitamento de um enxame por cortiço.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

QUEM SOMOS?




Somos dois amigos que temos como passatempo a apicultura.
José Vinagre, o entendido, que trazia da sua terra de origem, Pampilhosa da Serra, o gosto pelas abelhas, e Fernando Lopes o curioso e aprendiz, que se deixou pegar pelo "bichinho".
Estamos na região centro, mais propriamente em Maçãs de Dª. Maria, uma freguesia do concelho de Alvaiázere.
Estamos a criar este espaço para irmos falando das nossas experiências, trocando conhecimentos e informações com que nos visitar.
Podemos ainda ser contactados pelo mail: abelhasecolmeias@hotmail.com
Voltaremos em breve….


VISITANTES DESDE MAIO / 2010 Usuários online usurarios online